Páginas

sexta-feira, 27 de julho de 2012

O Poço do Sino

         


          Um Homem bastante rico, residente em Recife, era vítima de uma doença incurável.  Com medo de morrer, fez uma promessa à Nossa Senhora da Escada: se ficasse bom, daria um sino de ouro à igreja.  Pouco tempo depois, ele recuperou totalmente a saúde e procurou pagar imediatamente a promessa.  Comprou um belíssimo sino de ouro e doou à Matriz, o qual foi instalado pelo Padre na torre do templo.       Aconteceu que, diante da suntuosidade do sino, uma mulher da vida achou que a beleza dele se contradizia com a simplicidade da Igreja.    Ao meio-dia, quando o sino tocou, ela blasfemou:
        "Mal empregado! Um sino tão bonito numa Igreja tão feia!"     No momento, o sino de ouro desprendeu-se da torre, saiu rolando morro abaixo e caiu num poço localizado no Rio Ipojuca, que passa por trás da Matriz. Na mesma ocasião, uma enorme serpente que por ali andava enrolou-se nele, passando a habitar no fundo do poço.
         Conta a lenda que, de sete em sete anos, o povo ouvia um barulho estranho dentro do poço, como se a água estivesse borbulhando. Com o transcurso do tempo o ruído desapareceu e, até os dias de hoje, o poço ficou conhecido como "O poço do Sino"

Livro: Lendas, Mitos e Histórias da Terra dos Barões

Autora: Mariinha Leão

2 comentários:

  1. gostei de seu blog adicionei ele a nossa blogfera ok

    http://blogsferavitoriense.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Que legal. Já tinha lido o livro dela na escola...

    ResponderExcluir